Dados Gerais

Município desde 13 de abril de 1988, Harmonia foi criado pela Lei Estadual 
nº 8562/88, que ratificou o plebiscito que havia ocorrido em 20 de setembro 
de 1987. Antes disso, seu território era distrito de Montenegro desde 1897.
Harmonia surgiu no embalo da colonização alemã no Vale do Caí, que se 
iniciou por São José do Hortêncio em 1828 (apenas quatro anos depois da 
chegada dos primeiros imigrantes ao Estado) e começou a se expandir para 
o restante da região a partir de 1840.


Era por volta de 1854 quando José (Juca) Inácio Teixeira, encarregou o 
agrimensor Ernesto Müzel de medir e lotear parte da fazenda Parecy, de 
sua propriedade e que abrangia desde os atuais municípios de Pareci Novo 
até o atual município de Tupandi. Filho de marinheiro holandês e mãe 
brasileira, Juca Teixeira vendeu os primeiros lotes do novo empreendimento 
aos colonos Pedro Kuhn e Pedro Heck, de São José do Hortêncio.


O fazendeiro encarregou os dois da venda dos demais lotes e, a partir de 
1855, foram chegando também Pedro Kuh, Nicolau Hech, João Hartmann, 
Matias Hockenbach, Adão Fink, Eduardo Grünewald, Domingos Hilger e 
Jacó Jung, além das famílias Berwanger, Nedel, Simon, Diehl, Kenze e 
outras que foram chegando aos poucos. Nos anos seguintes, foram 
surgindo as primeiras indústrias, com os moinhos de cereais, seguidas das 
fábricas de queijo, olarias, serralherias e carpintarias. Em 1873 foi 
construída uma capela de madeira, que era atendida pelos padres jesuítas 
de Tupandi.


Já o ensino no princípio era desenvolvido em alemão, funcionando em 
escolas ao ar livre ou mesmo nas casas dos professores. As aulas eram 
particulares e os professores trabalhavam de manhã na escola e à tarde na 
roça. Outros ofícios exercidos por eles eram os de diretores de canto e de 
sacristãos nas igrejas.