Notícias
» Consulesa Tcheca esteve em Harmonia
Foto: Jornal PH 10/04/2018

No último sábado, o prefeito Carlos Alberto (Lico) Fink recebeu em seu gabinete a Consulesa Geral da República Tcheca em São Paulo, Pavla Havrlíková, juntamente com outras autoridades harmonienses. Isso porque, há apenas alguns anos, descobriu-se que o padroeiro da cidade, São João Nepomuceno, é um santo tcheco (boêmio). Além de Harmonia, só existe mais uma cidade no Brasil que tem o mesmo santo tcheco como padroeiro. É a cidade de São João de Nepomuceno, em Minas Gerais, que completa 203 anos de fundação em 2018.

 

Acompanhada do marido e das duas filhas, Pavla veio até Harmonia a fim de conhecer um pouco da cidade que tem como seu padroeiro um santo tcheco e confirmar a estátua do padroeiro que virá de Nepomuk para a paróquia, doada pela cidade tcheca e com o transporte custeado pelo consulado. A comitiva visitou ainda a cachaçaria Harmonie Schnaps, ACEFH e por fim a Igreja Matriz. No final da visita, o prefeito Lico e a primeira dama Márcia Fink entregaram uma cesta de produtos harmonienses e receberam também uma lembrança de Praga.

 

Para os harmonienses, a origem e a chegada do padroeiro São João Nepomuceno na cidade ainda é pouco conhecida. O santo é visto como o "Mártir da Confissão" e sua história é chocante. Ele é o padroeiro da boa confissão e dos confessores, conhecido como protetor contra calunias e indiscrições e também é protetor das pontes, dos trabalhadores das pontes e padroeiro da República Tcheca.

 

Em 2015, o então Embaixador da República Tcheca no Brasil, o Cônsul Geral da República Tcheca em São Paulo e o Cônsul Tcheco Honorário no Estado do Rio Grande do Sul já haviam passado por Harmonia a fim de conhecer a cidade. Naquele mesmo ano, o Arcebispo de Praga, Dominik Jaroslav Duka, enviou um representante para participar das celebrações do Kerb em Harmonia.

 

HISTÓRIA DO SANTO

 

João Nepomuceno nasceu na cidade de Nepomuk, em um dos vales da Boêmia, por volta do ano de 1345. Já no ano de 1370 tinha o cargo de notário na Cúria Metropolitana. Nove anos depois, foi ordenado sacerdote e nomeado pároco de São Gall. Não obstante os encargos dessa grave função, continuou seus estudos de direito eclesiástico na Universidade de Praga, na qual obteve o bacharelato. Em 1382, o arcebispo o enviou a Pádua, onde se doutorou em direito canônico, em 1387. Voltando logo em seguida a Praga, foi nomeado cônego da igreja de São Gil, mas ali permaneceu só dois anos. Em agosto de 1390, tornou-se cônego honorário da Catedral de São Vito e vigário geral dessa já então ampla e importante arquidiocese. A partir desse momento, a Providência o transformou em homem público.

 

Os sermões pregados por São João Nepomuceno produziram notável mudança nos costumes e assim ele foi chamado a desempenhar o cargo de confessor da Rainha. Porém, tal função o levou à tortura e morte, quando o rei desconfiou da fidelidade de sua esposa e ordenou que João revelasse os segredos de confissão, o que ele recusou com firmeza. O Papa Inocêncio XIII o declarou beato em 1721. Posteriormente, cartas de imperadores, de bispos e de ordens religiosas, às quais se juntavam as das universidades de Viena, Praga e Blatislava, em coro pediam ao Soberano Pontífice a abertura do processo de canonização, e de fato, este foi iniciado em julho de 1722.

 

Em 19 de março de 1729, na Basílica de São João de Latrão, pelas mãos do Papa Bento XIII, era solenemente elevado à honra dos altares São João Nepomuceno, mártir do segredo da Confissão, cuja festa a Igreja comemora no dia 16 de maio.

 

CLIQUE AQUI para ver as imagens